VIAGEM DE FINALISTAS

De 11 a 14 de julho, consumou-se uma viagem, para os Alunos do 9º ano de escolaridade, com o objetivo de promover o seu enriquecimento cultural e, não menos relevante, estimular o desenvolvimento de relações interpessoais, quer entre os pares, quer entre Alunos e Professores. Com efeito, se os afetos eram, nas práticas pedagógicas do passado, inibidos ou separados dos alunos, dos professores e, em geral, da Educação, não há cabimento, hoje, para este fracionamento entre o que é racional e o que é afetivo.

Podemos atestar que a cultura académica alimentou a mente destes jovens durante todo o tempo que permaneceram no Colégio de Lourdes. Chegou então agora o momento de romper com a rotina letiva e enveredar pelo caminho do imprevisível, no sentido de fazer coisas não agendadas, inesperadas.

A opção para a viagem de finalistas recaiu na capital da Catalunha, Barcelona. Assim, no dia 11 de julho, em plena madrugada, mais concretamente pelas 04h30, os alunos dirigiram-se até ao Aeroporto Francisco Sá Carneiro para “voarem” até ao destino escolhido como palco desta iniciativa. Não iam sós, porém; acompanhavam-nos o seu Diretor de Turma, o Professor Paulo Gonçalves, bem como a Professora de Português, Sara Almeida.

Uma vez chegados ao Aeroporto de El Prat, em Barcelona, procedeu-se ao transfer para o Hotel Rialto, que prima por uma localização muito boa, bem no centro histórico da cidade, mais precisamente no famoso bairro gótico. Tendo sido efetuado o incontornável check in, o grupo preparou-se para iniciar a visita guiada, previamente marcada, ao Museu Picasso (situado a uns escassos 200 metros do hotel), local onde lhes foi possível apreciar algumas das obras mais famosas do conhecido pintor.

Posteriormente, rumaram à praia da Barceloneta, não faltando ocasião para “ir a banhos” na água “temperada” do Mar Mediterrâneo e “trabalhar um pouco para o bronze”. Infelizmente, chegou a hora de regressar ao hotel e assim se deu por finalizado mais um dia de surpresas, emoções e novos encantos. Muitas estórias haveria para contar…

À noite, houve tempo para um passeio pelas ruas do bairro gótico, antes do regresso ao Hotel Rialto Barcelona, a fim de poder experienciar um pouco do ambiente noturno citadino. Aí aventuraram-se a calcorrear a avenida mais popular e frequentada da cidade, La Rambla. Já fatigados, mas deveras agradados, regressaram, por fim, ao Hotel, onde pernoitaram e tomaram o pequeno-almoço ao longo de toda a sua breve estadia em Barcelona.

O dia 12, quarta-feira, prometia novas descobertas. Logo após a refeição matinal, o grupo dirigiu-se à Praça da Catalunha (Plaça de Catalunya, em catalão), a mais central e a maior das praças de Barcelona. Aí adquiriram os bilhetes para o autocarro turístico, por forma a ser facilitada a sua deslocação, bem como para obterem uma panorâmica geral da cidade e, claro, desfrutarem “das vistas”. Seguiu-se uma visita à afamada casa/museu “La Pedrera” (também conhecida como a Casa Milà), edifício emblemático da cidade projetado pelo famoso arquiteto catalão Antoni Gaudi, entre 1905 e 1907. O edifício de apartamentos foi, na época, construído com uma finalidade residencial, destinado à elite da época. “A Pedreira” é hoje Património Mundial da Unesco.

Uma visita à Catedral da Sagrada Família foi o próximo “passo”. Este Templo, fruto também do génio criativo de Gaudi e, acrescente-se, o seu último projeto, começou a ser erigido em 1882; todavia, é um edifício cuja construção nunca se finalizou devido ao falecimento do seu obreiro. A título de curiosidade e informação, refira-se que a Sagrada Família tem 12 campanários de 100 m de altura cada, 5 cúpulas e um coro de 14 m de altura para 2200 cantores, que podem ser ouvidos no interior e no exterior.

Terminada esta incursão, encaminharam-se para o Parque Güell, mais uma obra-prima concebida por Gaudi e expoente máximo do modernismo catalão. Este imenso parque urbano repleto de elementos arquitetónicos, construído entre 1900 e 1914, fora, inicialmente, projetado para ser um condomínio privado. Contudo, após um visível insucesso industrial, foi adquirido pelo Estado e, nessa altura, convertido num dos espaços públicos mais notáveis de Barcelona, tal é a vista sobre a cidade que proporciona aos visitantes. É de salientar que, no recinto do parque, numa casa onde Gaudi habitou durante quase vinte anos, funciona, desde 1963, a Casa-Museu Gaudi, cujo espólio inclui objetos pessoais e obras do arquiteto. O Parque Güell foi, em 1984, classificado, pela UNESCO, como Património da Humanidade.

Findos estes momentos culturais, foi altura de regressar ao hotel, tomar uma bela “banhoca”, jantar, é claro, e ainda dar um passeio pelo já familiar bairro gótico.

O terceiro dia, 13 de julho, iniciou com uma ida, novamente conduzidos pelo autocarro turístico, à zona poente da cidade, mais precisamente a Montjuic. Aí empreenderam uma visita a “El Poble Espanyol”, que se trata de um conjunto arquitetónico representativo das várias regiões de Espanha. Este complexo foi construído em 1929, a pretexto da exposição mundial, reunindo, num mesmo ambiente, réplicas das ruas e dos  edifícios mais representativos de cada região autónoma, sendo que, devido ao seu sucesso, foi mantido até aos dias de hoje.

O grupo dirigiu-se depois até ao Estádio Olímpico, originalmente construído para a Exposição Internacional de Barcelona de 1929. Mais tarde, em 1989, foi reconstruído  para os Jogos Olímpicos de Verão de 1992, sendo que na cerimónia de abertura dos mesmos ecoaram vozes célebres como as de Freddie Mercury e Montserrat Caballé. Mais descobertas, mais novidades…; por conseguinte, mais flahes a disparar para recordar este instante. Posto isto, tomaram o teleférico del Puerto rumo à praia da Barceloneta, onde se detiveram durante a tarde, pois o tempo assim o sugeria e impunha! Neste mesmo dia, conheceram o famoso Hard Rock Café Barcelona.

Na sexta-feira, dia 14 e último, logo pela manhã, o grupo caminhou pela Rambla em direção à zona marítima de Port Vell. Neste local, visitaram o Aquário de Barcelona, onde admiraram a sua colossal fauna marinha (tubarões, por exemplo, e outros peixes com cores e formas extremamente curiosas). “Mergulharam” no mundo marinho do Mar Mediterrâneo sem se molhar!

Por fim, surgiu o inevitável “momento do adeus” – “Fim de festa!”, – pelo que toda esta simpática “equipa” se dirigiu ao Aeroporto de El Prat para embarcar rumo ao Porto. Chegaram ao Aeroporto de Sá Carneiro por volta das 24h e aí depararam-se com uma agradável surpresa: foram ovacionados pelas suas famílias.

E assim se colocou um ponto final no passeio dos nossos finalistas. Novos locais se conheceram, renovados conhecimentos se adquiriram, mudanças surgiram e a mudança dá-nos a oportunidade de sermos melhores do que éramos. A vida brilha para aqueles que agarram e experienciam com coragem as oportunidades que lhes são dadas.

Esperamos que os nossos jovens, por via desta “rota” que, além de física foi também de cariz interior, tenham aprendido a viver a vida como uma viagem, uma aventura, uma peregrinação, mantendo sempre uma atitude de disponibilidade, de abertura, de amor… Que caminhem sempre com coragem e determinação e nunca deem espaço ao desalento, ao pessimismo, à desesperança, à depressão… Que homenageiem o espetáculo que é a vida, penetrando dentro do seu próprio ser… Que se comprometam a ser felizes!












AULAS ONLINE
CLASSROOM
INOVAR +
PLATAFORMA PEDAGÓGICA
AJUDA
Acesso AO INOVAR +
GALERIA
O QUE FAZEMOS E COMO FAZEMOS
PARCERIAS
ENTIDADES PARCEIRAS
EMENTAS
SALA DE REFEIÇÕES